logo-to-de-passagem

Forró: origem e destinos especiais para curtir o arrasta pé e se divertir

setastdp

Quando toca o forró

Todo mundo quer dançar

Todo mundo se sacode

O mundo a sacolejar…

Eita, forró bom danado!

A galera que gosta de um arrasta-pé sabe: quando o choro do fole domina a sala de reboco, o corpo chega arrepia. O ritmo contagiante do forró é do tipo que abraça os ouvidos e aquece o coração. Até para quem não tem familiaridade com o gênero ou não costuma dançar, é quase impossível resistir à vontade de arriscar um “dois pra lá, dois pra cá” ao som da sanfona, da zabumba e do triângulo.

Muito além de um estilo cativante de música e dança, o forró também é um dos elementos culturais mais preciosos do Nordeste brasileiro. Em estados como Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, quase todo mundo sabe completar os versos de cabeça quando alguém puxa o “todo tempo quanto houver pra mim é pouco…”. Apesar de serem protagonistas das festas juninas, esse e outros clássicos do forró são tocados em qualquer época do ano nos lugares que têm o arrasta-pé como tradição.

Hoje, a gente te convida a mergulhar na beleza histórica desse gênero arretado que é a cara do Brasil. Pode se aquecer para entrar na dança, que você está prestes a descobrir mais sobre a origem do forró, as características mais icônicas que ele carrega e alguns destinos perfeitos para quem quer curtir o ritmo “até dizer chega”.

Confere aí:

Descubra a origem do Forró e entenda seu significado

Saiba também a história do Forró no Brasil 

Música de Forró: conheça o ritmo que agita qualquer um 

Forró: dança única e inconfundível 

Aproveite o arrasta pé em um destes destinos surpreendentes: 

Campina Grande, PB 

Porto Seguro, BA 

Recife, PE 

Maceió, AL 

São Luís, MA 

Rio de Janeiro, RJ 

Manaus, AM 

Caraíva, BA 

Não perca a chance de curtir um Forró enquanto visita estes lugares incríveis com a Clickbus! 

Descubra a origem do Forró e entenda seu significado 

O forró é tão único que muita gente acha até difícil imaginar de onde ele vem. Afinal, como será que esse ritmo nasceu?

Se você já pesquisou sobre o tema, é possível que tenha esbarrado com uma hipótese bem criativa: segundo uma anedota famosa na sabedoria popular, o forró teria vindo da influência de estrangeiros falantes da língua inglesa. Uma das versões dessa história diz que tudo começou com um grupo de britânicos que morava em Pernambuco no século 20, durante a construção da ferrovia Great Western. 

Supostamente, eles eram os responsáveis por organizar bailes dançantes abertos ao público. Daí que a palavra “forró” poderia ter surgido da expressão “for all” (em inglês, “para todos”). Outra variação dessa narrativa troca os ingleses em Pernambuco pelos estadunidenses que passaram um tempo no Rio Grande do Norte na época da Segunda Guerra Mundial.

Apesar de ser cômica, essa hipótese bem humorada não é apoiada por evidências históricas. Na verdade, o termo “forró” é uma redução de “forrobodó”, que vem de uma antiga expressão do idioma galego-português, “forbodó”. A real origem do ritmo é incerta, mas tudo indica que ele nasceu de uma mistura entre vários elementos musicais europeus (especialmente portugueses e franceses), mediterrâneos e africanos. 

Saiba também a história do Forró no Brasil 

Embora ninguém saiba exatamente onde foi tocado o primeiro forró, os registros históricos mostram que o gênero já tinha muitos apreciadores no início do século 20. Ele aparecia em bailes e festas populares realizadas com bastante frequência em várias partes do Nordeste brasileiro. 

Esses agitos – chamados de “forrobodó” ou “forrobodança” – geralmente aconteciam em quintais, terreiros e outros espaços de estrutura simples, que quase nunca tinham o piso revestido por calçamento. Para curtir sem levantar tanta poeira no chão de terra, os frequentadores dos forrobodós tinham o costume de dançar “arrastando o pé”. É a origem dessa forma tão característica de acompanhar a música e a explicação por trás do termo “arrasta-pé”, usado de maneira generalizada para falar dos vários subgêneros do forró tradicional.

Entre as décadas de 1940 e 1950, o forró saiu dos terreiros nordestinos e ganhou o mundo: foi quando explodiu a fama de Luiz Gonzaga, músico pernambucano responsável por popularizar o ritmo nas rádios. Junto com outros grandes nomes da música popular, ele fez com que o forró se tornasse um dos gêneros mais tocados em estações de todo o Brasil. Lá pela década de 1970, já era possível encontrar casas de reboco – lugares dedicados especialmente à apreciação do arrasta-pé – em várias partes do país.

A partir de 1980, o forró foi perdendo sua força fora do Nordeste. Na tentativa de reconquistar a atenção do público (que tinha sido fisgada pela música pop estrangeira), os músicos e produtores ligados ao ritmo começaram a modificar algumas características musicais tradicionais. Eles inseriram novos elementos nas canções, como os modernos instrumentos elétricos, batidas computadorizadas e letras “chiclete”. Era o início do forró eletrônico ou estilizado, que caiu nos gostos dos jovens e foi se consolidando como um gênero diferente do arrasta-pé original. 

Mas sobre essa diferenciação, a gente fala um pouquinho mais a seguir…

Música de Forró: conheça o ritmo que agita qualquer um 

Ilustração em estilo de xilogravura mostrando um trio de forró. Os músicos carregam os três instrumentos tradicionais do ritmo: o triângulo, a sanfona e a zabumba.

Que o forró é da pesada

Ninguém quer ficar parado

Pode botar na balança

Que esse é o forró pesado!

Como você já sabe, a música do forró foi ganhando novas caras ao longo dos anos.

Tradicionalmente, as canções são embaladas por três instrumentos: a sanfona – nome popular do acordeão –, o tambor conhecido como zabumba e o triângulo. Essa é a composição clássica dos trios de forró, grupos responsáveis por animar a alegria do bom e velho arrasta-pé. Representada por nomes como Flávio José, Luiz Gonzaga, Santanna e Dominguinhos, a música do forró “raiz” se divide em vários subgêneros, com destaque para o xote, o baião e o xaxado.

Já o forró estilizado ou eletrônico embarcou nos traços emprestados do pop, da lambada, do axé music e de outras tendências contemporâneas. Estamos falando daquelas canções que incorporam elementos como a guitarra elétrica e a bateria: alguns bons exemplos são as faixas das bandas Magnificos e Calcinha Preta. Em resumo, dá para dizer que a música do forró tem variações capazes de agradar forrozeiros de todos os gostos!

Forró: dança única e inconfundível 

Mas, afinal, como se dança forró?

A dois, é claro! O ritmo é tipicamente curtido em pares, no estilo popularmente conhecido como “agarradinho”. Nas salas de reboco, não tem muita coreografia. A sequência básica do forró é bem simples, você pode até tentar aí: é só arrastar os pés no ritmo da música em sincronia com o seu par. Pode começar com dois passinhos para um lado e depois dois para o outro – é o famoso “dois pra lá e dois pra cá” –. Essa movimentação se encaixa perfeitamente na maioria das músicas de forró tradicional, mas é claro que ela pode variar de acordo com a habilidade e a vontade dos dançarinos.

Na versão estilizada, a dança do forró ganha alguns movimentos mais amplos, rodopios e outros elementos típicos das danças de salão. Nesses casos, é comum encontrar sequências coreografadas e mais performáticas, pensadas para acompanhar os grandes shows de forró eletrônico.

Seja qual for a sua variedade preferida desse estilo musical fantástico, uma coisa é certa: dançar forró é sempre sinônimo de alegria e diversão!

Aproveite o arrasta pé em um destes destinos surpreendentes: 

Agora que você já aprendeu tudo sobre o forró, que tal se jogar na dança?

É isso aí! Depois de te levar em uma viagem pela trajetória desse ritmo que é um verdadeiro tesouro da cultura brasileira, a gente resolveu fazer uma lista especial de cidades nas quais você pode curtir o forró do melhor jeito possível: virando a noite na sala de reboco. Nos destinos que estamos prestes a te apresentar, você vai encontrar as oportunidades perfeitas para testar seu gingado no arrasta-pé – ou simplesmente viver uma experiência de turismo cultural inesquecível –.

Deixa a sanfona chorar e bora “forrozar”!

Campina Grande, PB 

Lago de Campina Grande com os prédios ao redor

Quem nunca ouviu falar no São João de Campina Grande?

Situada a 130 quilômetros de João Pessoa, a cidade paraibana é conhecida nacionalmente por ter uma das maiores festas de São João do Brasil. Dona de uma tradição riquíssima ligada à cultura popular, Campina Grande tem atrativos que vão muito além das celebrações juninas: se você quiser se aprofundar na incrível bagagem do forró, vale a pena visitar o Memorial Fonográfico Luiz Gonzaga.

O ritmo também domina boa parte dos rolês em Campina Grande, então não faltam opções de bares, restaurantes e casas noturnas com shows ao vivo de forró pé-de-serra. Para dançar até cansar, pode ir ao Forró Max ou à Forróteria.

Seja no São João ou em qualquer época do ano, você não vai se arrepender de comprar suas passagens de ônibus para Campina Grande.

Porto Seguro, BA 

Não é segredo que dança, música e alegria são a cara de Porto Seguro.

Adorada mundo afora por sua vida noturna agitada, a cidade é a escolha número um para viagens de formatura e confraternizações entre amigos. Além de ser emoldurado pela beleza estonteante das praias de Porto Seguro, o destino garante as oportunidades perfeitas para quem gosta de curtir a noite toda. Aqui, a melhor pedida é passar o dia desbravando os tesouros históricos de Porto Seguro – como o Marco do Descobrimento – e cair na farra depois do pôr do sol.

Para começar o rolê com o pé direito, tome uns drinks na Passarela do Álcool, trecho da Avenida do Descobrimento que reúne os melhores quiosques, bares e barraquinhas de bebidas da região. Depois, vá dançar forró na Casa 30eUm, que fica a menos de um quilômetro de distância.

Gostou? Então providencie logo as suas passagens para Porto Seguro.

Recife, PE 

Orla da praia de Recife, com prédios do lado esquerdo a praia do lado direito

Qual é o lugar ideal para conhecer o forró “raiz”? O estado onde nasceu Luiz Gonzaga, é claro!

Em Recife, capital de Pernambuco, o arrasta-pé aparece em muitos dos festivais e festas populares. Além de ter uma festa de São João com vários polos e programação de peso, a Veneza Brasileira também abriga vários espaços dedicados especialmente à valorização e divulgação da cultura popular. Para quem se interessa pelo forró, uma das paradas obrigatórias é o Museu Cais do Sertão, um dos pontos turísticos mais visitados do lindo Recife Antigo

Com um acervo interativo super tecnológico que explora os elementos encantadores da cultura sertaneja, o museu conta com uma área focada exclusivamente na vida e obra de Gonzagão. Tem também uma sala cheia de instrumentos tradicionais para quem quiser arriscar algumas melodias na zabumba ou no triângulo. Confira ainda as cabines com microfones, onde você pode gravar sua própria versão dos maiores clássicos do forró. 

Para “arrastar a percata” – ou seja, dançar um bom pé-de-serra –, o point oficial é a Sala de Reboco, um espaço clássico entre os forrozeiros. Quer saber mais? Então comece dando uma olhada nessas passagens de ônibus para Recife.

Maceió, AL 

Não é exagero dizer que Maceió é um verdadeiro paraíso tropical.

Cercada por um mar azul e brilhante, a cidade abriga alguns dos visuais arrebatadores que renderam a Alagoas o apelido de “Caribe Brasileiro”. Na Praia de Tabuba e na Praia de Paripueira, por exemplo, você vai encontrar longas faixas de areia macia e águas cristalinas ideais para banhos tranquilos. Se a sua prioridade for infraestrutura de primeira, pode apostar na Praia da Barra de São Miguel para passar o dia aproveitando o sol e o mar. 

À noite, faça um passeio pela orla da Praia de Ponta Verde, que está sempre animada pelos bares e restaurantes que oferecem programações culturais bem variadas. Para comer bem e dançar forró, vá ao Cheiro de Terra e à Comadre Fulô, que oferecem música ao vivo e o melhor da culinária regional alagoana. Mas antes de mais nada, garanta logo as suas passagens de ônibus para Maceió.

São Luís, MA 

Ruas de São Luís, com prédios coloniais e uma rua de paralelepípedo, enfeitada com bandeirinhas colorida

Poucos lugares se comparam a São Luís do Maranhão quando o assunto é diversidade cultural.

A terra oficial do bumba meu boi tem rolês ecléticos capazes de agradar a todos os perfis: não importa se você gosta de passeios históricos enriquecedores ou se prefere curtir um reggae até o amanhecer, São Luís tem tudo isso e muito mais. Antes de sair para dançar, não deixe de fazer uma tour a pé pelo fantástico Centro Histórico da capital maranhense, onde você vai encontrar relíquias como o Mercado das Tulhas e a Rua do Giz.

São Luís também conta com uma agenda cultural agitada cheia de eventos que têm o forró como protagonista. O ritmo domina os palcos durante os vários dias de festa que celebram o aniversário da cidade, em setembro. É na capital maranhense que rolam eventos icônicos como o Viixe Forró e o Forró Fest – vale a pena ficar de olho nas programações para acompanhar as próximas edições dos festivais –. 

Se quiser, aproveite essas passagens para São Luís do Maranhão.

Rio de Janeiro, RJ 

Quer curtir um forró raiz no Sudeste? Então o seu destino é o Rio de Janeiro.

Conhecida mundialmente por sua natureza exuberante, a Cidade Maravilhosa tem uma beleza tão única que já serviu como inspiração para incontáveis músicas e poemas do repertório brasileiro. Entre os principais pontos turísticos do Rio de Janeiro, estão as orlas apaixonantes – com destaque para a famosíssima Praia de Ipanema –, a sofisticação única do Palácio do Catete e, é claro, o bairro histórico da Lapa.

Cheia de tradição e relíquias preciosas, a Lapa também é adorada por quem curte uma agitação noturna. E nem só de samba vive o movimento animado do bairro: não faltam oportunidades para quem deseja aprender mais sobre a história do forró e cair na dança. Não deixe de visitar o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, o Bola Preta e o Clube Democrático.

Para saber mais, confira essas passagens de ônibus para o Rio de Janeiro.

Manaus, AM 

Ponte em Manaus com o Rio Amazonas passando por baixo

É difícil não se impressionar com a beleza de Manaus.

Cercada pela biodiversidade vibrante da maior floresta tropical do mundo, a capital amazonense é um destino que mistura história, bagagem cultural e muito contato com a natureza. A visita a Manaus é garantia de experiências variadas e inesquecíveis que vão desde a tour pela beleza secular do Teatro Amazonas até a oportunidade de conhecer o encontro entre o Rio Negro e o Rio Solimões.

No caldeirão cultural fervente que é a vida noturna de Manaus, o forró tem um espaço certo. Muitos artistas amazonenses dedicam seus repertórios ao ritmo, que ganha um encanto diferenciado por causa da mistura com outros gêneros e tradições amazônicas. Para descobrir a beleza dessa união incrível – e provar um pato no tucupi simplesmente divino –, visite o Forró do Velho Inácio. Outras casas super tradicionais na cidade são o Forró de Nós e o Ferro de Engomar.

Para conhecer tudo isso, desenrole as suas passagens para Manaus.

Caraíva, BA 

Se você já viu alguma foto de Caraíva, com certeza já sabe por que ela é tão adorada pelos praieiros de carteirinha.

Distrito de Porto Seguro, o simpático vilarejo situado a 740 quilômetros de Salvador é um verdadeiro oásis de tranquilidade. Em Caraíva, não há espaço para pressa ou preocupações: as pacatas ruas de terra e as adoráveis casinhas rústicas são convites ao sossego e à contemplação. Isso sem falar, é claro, nas praias de tirar o fôlego! Além da Praia de Caraíva propriamente dita, o destino também abriga outras faixas de areia praticamente desertas que esbanjam visuais dignos de cinema, como a Praia do Satu e a Praia da Barra.

Apesar da atmosfera tranquila, Caraíva conta com ótimas opções de rolês regados a música e cultura popular. Para quem deseja se divertir ao som do arrasta-pé, vale a pena visitar o Forró do Pelé e o Forró do Ouriço.

Não perca a chance de curtir um Forró enquanto visita estes lugares incríveis com a Clickbus! 

Casal dançando forró em uma festa junina. Eles estão abraçados e usam roupas quadriculadas típicas do São João. Ao fundo, aparecem as bandeirolas coloridas da decoração.

Forró pesado

Forró pesado

A moçada se assanha

Ninguém quer ficar parado

Até aqui, você com certeza já se apaixonou pelo forró. Nem tem como fugir, né?

Não é à toa que a variedade tradicional do ritmo recebeu o título merecidíssimo de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil em 2021. A gente poderia até passar mais um tempão falando sobre o encanto incomparável desse estilo musical autenticamente brasileiro… mas a verdade é que você só vai entender a magia do arrasta-pé quando conhecer de perto o calor de uma sala de reboco! 

Agora que você tem todas as informações para viver essa experiência, é só comprar suas passagens online e planejar uma viagem inesquecível para os destinos que acabamos de te apresentar. E fica a dica: se quiser desbravar outras belezas culturais e naturais do Brasil, pode colar na gente! Aqui no Tô de Passagem, nossos conteúdos são pensados especialmente para quem adora viajar e conhecer as maravilhas do território brasileiro.

Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja O Que Estão Comentando

Deixe o seu comentário

Web Stories

Inscreva-se Para Receber Notícias E
Conteúdos Exclusivos Sobre Viagem