Um roteiro pautado e guiado pela natureza; é hora de dar tchau para o sinal de celular e se conectar com as cachoeiras e fervedouros.

Onde fica o Jalapão

O Jalapão está localizado no extremo leste do estado do Tocantins, na região central do Brasil, com paisagens caracterizadas pelo cerrado. Fica a uma distância de 300 quilômetros da capital, Palmas

A região é formada por cinco áreas de conservação: o Parque Estadual do Jalapão; Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba; Estação Ecológica da Serra Geral do Tocantins; Área de Preservação Ambiental Serra da Tabatinga e a Área de Proteção Ambiental Jalapão. 

Ou seja, já deu pra sentir que a good vibes da natureza não vai faltar nessa viagem né? Ah, não precisa se preocupar com o fuso, pois o horário em Jalapão segue o mesmo de Brasília. 

Então, “bora” conferir o que fazer em Jalapão!

O que fazer em Jalapão

Se tivesse que responder a essa pergunta de forma breve, seria muito fácil: em Jalapão, você vai se conectar com a natureza, quer queira, quer não. Até porque encontrar um lugar com sinal de celular não é fácil. Rsrs. 

Além disso, independente de quantos dias tenha a programação da sua viagem, alguns pontos turísticos estarão presentes em todos os roteiros.   

Primeiramente, saiba que fazer os passeios em Jalapão sozinho não é uma recomendação, por isso contratar os serviços de agência de turismo ou até mesmo motorista  são opções que devem ser levadas em conta. A maioria das estradas não é sinalizada nem asfaltada. Ninguém quer uma viagem estressante, né? Lembre-se que é um destino de paz e tranquilidade.  

Vamos às dicas, então. O roteiro será pautado por muitos banhos de cachoeiras. Em algumas, como não é permitida a entrada nas águas, a visita se limita à apreciação da paisagem e às fotos cinematográficas. 

Depois, você terá experiências de mergulho em diferentes fervedouros. A sensação de não alcançar o pé ao fundo, mas conseguir visualizá-lo, devido às águas transparentes, é impagável. Por isso, o que cobram para a visitação é bastante compensador. 

Ademais, não podemos deixar de mencionar as dunas, que ficam dentro do Parque Estadual do Jalapão. A paisagem é divina, além de ser uma experiência inesquecível assistir ao pôr do Sol no local.

Além da natureza, Jalapão também é destino cultural. Ao longo da viagem, você vai encontrar pequenos povoados locais. São casas simples, construídas com barro e capim, onde vivem os quilombolas, descendentes dos escravos que viviam na região. 

Por fim, não vamos deixar de mencionar as paradas para conhecer o trabalho artesanal das mulheres que transformam o capim dourado em diversos produtos que enchem os olhos devido à sua beleza. 

Agora que você já sabe de forma resumida o que fazer, vamos detalhar aqui alguns dos pontos turísticos de Jalapão. 

Pontos Turísticos de Jalapão

Pontos Turísticos de Jalapão

Serra do Espírito Santo

Diferente das demais trilhas do Jalapão, que são percorridas de carro, essa você vai precisar realizar a pé. Por isso, o mais indicado é se planejar para ir bem cedo ou no fim de tarde. Lembre-se que a região é bastante quente e o Sol durante o dia pode deixar as subidas e descidas mais cansativas.

Ou seja, se programe para apreciar o nascer ou o pôr do Sol na região. Caso opte pela primeira opção, a trilha precisa começar ainda de madrugada. Bastante gente realiza esse passeio. A paisagem compensa muito. 

Não se esqueça da garrafinha de água e de levar frutas ou lanches para viagem fáceis para recarregar a energia durante o trajeto.

Se fizer a trilha até chegar ao Mirante, vai poder ter uma visão panorâmica do Parque Estadual do Jalapão. 

Dunas do Jalapão

Elas ficam dentro do Parque Estadual do Jalapão que acabamos de mencionar, durante o trajeto, desfrute da paisagem e visualize, por exemplo, a Serra do Espírito Santo e o Morro Saca-Trapo. 

São muitas trilhas dentro do parque, por isso, vale a pena reforçar: não faça o passeio sozinho. A sinalização no local é quase inexistente e sinal de celular é precário, portanto, você não terá suporte de aplicativos de localização. 

Se puder, fique para o pôr do Sol. É realmente um presente da natureza para sua viagem. Caso esteja fazendo essa viagem a dois, ainda dará um toque romântico para o passeio.   

Pedra Furada

Falando em entardecer, outro local que vale a pena incluir no roteiro durante esse período do dia é a Pedra Furada. Essa formação rochosa serve como moldura para o cerrado da região e pôr do Sol, deixando a paisagem ainda mais bonita.

Morro da cruz

É o ponto mais alto da região do Jalapão e, por isso, muitas vezes serve como ponto de referência. Vai compor o cenário da viagem em muitos dos trajetos percorridos.

Como curiosidade, esse nome veio do fato de um antigo cemitério que existia ali.

Morro da Catedral, Morro Vermelho e Chapa das Onças

Os três espetáculos naturais podem ser vistos ao longo do trajeto de Palmas ao Jalapão ou no percurso de volta à capital. 

Se você der sorte, vai poder ver onças na Chapada das Onças. Mas caso não consiga avistá-las, o pôr do Sol no local também vale a pena. 

Prainha do Rio Novo

Aqui você vai desfrutar de águas tranquilas e uma faixa de areia longa. Como o próprio nome sugere, a prainha está em uma das áreas do Rio Novo. Esse rio está entre os maiores de água potável do mundo.  

Artesanato e as comunidades locais

Artesanato em Jalapão

O que mais você vai encontrar na região é artesanato à base de Capim Dourado. São brincos, pulseiras, bolsas, chapéus. E a arte do ofício é passada de geração para geração.

Nas comunidades locais é muito comum encontrar esse tipo de artesanato. No mês de setembro, normalmente, tem a festa da colheita, com cantorias e rodas de conversa. 

Lagoa do Japonês

Primeiramente, vamos a uma informação importante: a Lagoa do Japonês não fica propriamente no Jalapão, mas em uma cidade a pouco mais de 90 quilômetros de Ponte Alta. 

O município chama Pindorama e a viagem até lá merece atenção, pois há muitos trechos sem asfalto e sem sinalização. 

Ao chegar, você encontrará uma paisagem de arrepiar. A piscina natural tem partes com coloração verde cristalina e outras áreas de um azul fluorescente. Dá muita vontade de se banhar no local, no entanto, se atende a essa dica: leve roupa de mergulho ou minimamente uma camiseta, pois os peixinhos da área não dão sossego e beliscam mesmo. 

Fervedouros de Jalapão

Fervedouros de Jalapão

São os grandes atrativos da região. Ir a esse destino e não incluir fervedouros e cachoeiras como opções de lugares para ir em Jalapão é como não ter viajado para lá. Ou seja, foco na nossa lista com alguns deles. A grande maioria das visitas são pagas. O preço gira em torno de R$ 15 a R$ 20 e, acredite, vale a pena! Se programe e não deixe de desfrutar do que a região oferece de melhor.  

Fervedouro Bela Vista

É o maior da região e, talvez, por isso, ofereça uma estrutura maior aos turistas, com  hospedagem para pernoitar e restaurante.

Ele fica localizado em São Félix do Tocantins e já é possível avistar os 15 metros de diâmetro da piscina natural, após passar por uma passarela de madeira. As águas são bastante convidativas, além de transparentes e cheias de peixinhos. Também possuem uma temperatura agradável. 

Fervedouro Encontro das Águas

Se o Bela Vista é o maior, o Encontro das Águas é conhecido por ter a nascente com maior pressão. É devido a isso que é impossível afundar durante um banho no local. 

Como o próprio nome sugere, é nele que acontece o encontro das águas com o Rio Formiga.

Fervedouro do Ceiça

O Fervedouro do Ceiça não tem a mesma estrutura do Bela Vista, no que se refere à hospedagem e restaurante. No entanto, é também um dos mais procurados da região. A nascente de água é forte e a paisagem é composta por vegetação nativa, incluindo  muitas bananeiras. 

Fervedouro dos Buritis

Recebe esse nome devido aos buritis que compõem o cenário local, junto às bananeiras. Com muita vegetação ao redor, o fervedouro tem águas transparentes e a coloração depende do sol. Às vezes verde, às vezes azul, o fato é que são sempre lindas. O acesso à piscina é realizado por meio de uma escada.

Ah, informação importante: há restaurante no local de comida caseira.  

Fervedouro dos Buritizinho 

A trilha para chegar ao Fervedouro dos Buritizinho beira o Rio Formiga. Apesar de pequeno, dispõe de uma paisagem encantadora, combinada a incrível experiência de flutuar em águas transparentes.

Neste fervedouro também há restaurante de comida caseira, caso a fome bater. 

Fervedouro do Rio Sono

Localizado dentro de uma comunidade local, a comida caseira também está garantida por aqui. Além da experiência de flutuação, tem redes para descanso no local. 

Fervedouro do Alecrim

Ele é semelhante ao Fervedouro Bela Vista em relação ao tamanho e a belíssima paisagem, ou seja, já dá para saber que a experiência será única, as fotos cinematográficas estão garantidas e a flutuação terá um gostinho de quero mais, né? A coloração das águas de suas piscinas naturais é esverdeada. 

Cachoeiras em Jalapão

Cachoeiras de Jalapão

Agora vamos às cachoeiras em Jalapão. 

Cachoeira da Velha

É a cachoeira com a maior queda d’água do Jalapão, até por isso o banho não é permitido. No entanto, é nela que você vai ter a incrível experiência do rafting. A prática esportiva é paga, embora a visitação à cachoeira seja gratuita.

Durante a atividade, é possível ter outra visão da cachoeira, visualizando os dois arcos que a compõem. 

Cachoeira do Formiga

Feche os olhos e sinta a experiência do barulho da queda d’água, vislumbre o verde esmeralda das águas e a formação de piscinas naturais. Quem optar por ficar mais dias na região, tem camping e restaurante. 

Cachoeira do Rio Soninho

A mesma estrada que leva à Pedra Furada, já apresentada aqui, leva à Cachoeira do Rio Soninho e também à Cachoeira da Fumaça, sobre a qual vamos falar daqui a pouco.

A Cachoeira do Rio Soninho tem cerca de 30 metros de altura e a queda d’água fica em evidência pela sua força. Até por isso não recomendamos o banho. 

Mas calma, dá para se refrescar em meio ao calor da região no local. Basta caminhar até embaixo da Ponte do Rio Soninho, onde se formam as piscinas naturais. 

Cachoeira da Fumaça

Aqui a dica é parar para apreciar o visual, ouvir o som da queda d´água e gastar alguns cliques da câmera, pois o banho não é permitido. Portanto, use a visão e a audição para se conectar com esse ambiente. Uma prática interessante no lugar é a meditação, por exemplo.  

Cânion de Sussuapara

Aqui a queda d’água acontece nos paredões de vegetação nativa, um espetáculo natural que fica a 12 quilômetros de Ponte Alta, pela rodovia TO-255.

É aqui que você encontra a Cascata dos Desejos. Dizem que basta entrar debaixo da queda d’água, fechar os olhos, realizar o pedido e pensar positivo.

Restaurantes de Jalapão

Certamente, você não está esperando nada de muito luxuoso no Jalapão, né? Depois de conhecer um pouco mais da região e o que ela oferece, dá para concluir que a culinária é bastante caseira e local. 

Uma curiosidade: você encontrará os restaurantes em Jalapão nos próprios fervedouros e cachoeiras e possuem estrutura simples.

Portanto, não espere uma variedade muito grande de estabelecimentos por aqui. Outra dica é ter sempre com você alguma fruta – além de água para se hidratar muito – e uma opção de lanche rápido. Lembre-se de que faz muito calor na região.

Já nas cidades Ponte Alta, Mateiros e São Félix, cidades que servirão de guia para a chegada aos pontos turísticos, existem mais opções de bares e restaurantes. 

Quando ir a Jalapão

Quando ir a Jalapão

Sem dúvida, o Jalapão é um destino que você pode visitar em qualquer época do ano, pois existem pontos positivos em quaisquer das opções escolhidas. No entanto, existem algumas particularidades que valem a pena ser expostas para ajudar na decisão sobre o período da viagem. 

O destino apresenta dois períodos muito bem definidos. Entre os meses de maio e setembro, é a vez da seca. Aliás, quanto mais perto do mês de setembro, mais seco é o clima. No geral, nestes meses, quase não há chuva, os dias são bem quentes e as noites mais frescas. Nesta época, o pôr do Sol é um dos mais bonitos. 

Por outro lado, há a dificuldade de respirar, devido à baixa umidade do ar, somado ao fato de ficar mais difícil percorrer as estradas de areia. Por isso, quem não quer pegar chuva, mas ainda deseja um clima mais úmido na região, vale a pena optar pelo mês de maio. 

Já entre os meses de outubro e abril é o período mais chuvoso, sendo que o pico acontece em janeiro. No entanto, isso não impede o Sol de aparecer. Aliás, o calor na região é permanente. 

O lado positivo de viajar nesta época é que o risco de atolamento na estrada de areia é menor. Entretanto, a chuva pode ofuscar a cristalinidade das águas e o pôr do Sol.   

Por fim, vale anotar essa dica: evite a alta temporada! Tudo fica mais cheio e a cidade não tem uma mega estrutura, como já falamos aqui.  

Clima de Jalapão

Se tivesse que resumir o clima em Jalapão em uma única palavra seria: quente! Principalmente de dia. Por isso, não se esqueça de se hidratar muito durante os dias de hospedagem por lá. Protetor solar, boné e roupas leves são itens obrigatórios na mala.    

Em outras palavras, o clima é predominantemente tropical e a temperatura em Jalapão pode superar os 30ºC, durante o dia dos períodos de seca. Já à noite, o ponteiro do termômetro pode baixar, com médias que variam entre 15ºC a 20ºC. 

Fica a dica para os mais friorentos adicionarem uma blusinha de frio na mala. 

Como chegar ao Jalapão

Primeiro, vamos à informação básica: é preciso viajar a Palmas, capital de Tocantins, para chegar à região. 

Pois bem… chegando em Palmas, a viagem é entre os municípios. São eles que levam aos principais cartões postais da cidade. Os principais municípios que vão compor o seu roteiro, e que já mencionamos aqui, são Mateiros, São Félix do Tocantins e Ponte Alta. A estrada asfaltada é até Ponte Alta, depois só areia e terra. 

Portanto, prepare um carro 4×4. Mas o ideal mesmo é contratar um guia para acompanhá-lo e aproveitar o paraíso que a região oferece sem estresse.

Veja também no Tô de Passagem:

Como Comprar Passagem De Ônibus Pela Internet
22 Patrimônios Da Humanidade Que Ficam No Brasil
O Que É Turismo De Aventura E Como Praticar No Brasil
Ecoturismo No Brasil: 10 Lugares Para Visitar

 

Escrever um comentário