Imagine-se por um momento em meio a formações geológicas grandiosas, vistas de tirar o fôlego, uma natureza exuberante e 6 mil anos de história. Incrível, não é? Essas são algumas das coisas que compõem a beleza cinematográfica do Vale do Catimbau, uma terra quase mágica que já foi cenário de filme mais de uma vez.

O “nome completo” desse lugar incrível é, na verdade, Parque Nacional do Catimbau, uma região de um pouco mais de 62 mil hectares localizada no interior de Pernambuco. É um destino perfeito para quem gosta de ecoturismo: programas como trilhas, visitas a cavernas e contato direto com uma natureza excepcionalmente bem preservada.

Mas isso é só o começo. Se você gosta de aprender sobre os primórdios da história humana, fique sabendo que visitar o Vale do Catimbau também será uma experiência incrível para você: o local é também um parque arqueológico com várias pinturas rupestres.

Acredite, é muita coisa para ver! Mas não se preocupe, porque nós preparamos um material exclusivamente pensado para te ajudar a aproveitar o máximo da sua passagem pelo Vale do Catimbau.

Fica aqui comigo que você vai conferir:

Onde fica o vale do Catimbau e como chegar lá?

O que fazer em Catimbau: lugares para visitar  

Vila do Catimbau 

Pedra do Cachorro 

Pedra da Igrejinha 

Cachoeira do Pinga (Oásis do Sertão) 

Trilha do Chapadão

Curiosidades sobre Catimbau

Cenário de filme 

Fauna e flora 

Vale da cura

Exuberância natural e histórica

Onde fica o Vale do Catimbau e como chegar lá?

Aperte os cintos para partir em uma viagem arretada: nosso destino de hoje fica bem no coração de Pernambuco. Como já foi mencionado, o Parque Nacional do Catimbau tem uma área bem grande, então ele abrange as regiões de três municípios: Buíque, Ibimirim e Tupanatinga. 

Mas para conhecer as maravilhas naturais do parque, o caminho é entrar por Buíque. Então, o melhor roteiro é descer na capital pernambucana, Recife, e em seguida percorrer aproximadamente 280 quilômetros até o município.

Para fazer o trajeto entre Recife e Buíque e economizar uma boa grana, eu recomendo fortemente a opção de pegar um ônibus, e fazer o percurso que deve dar umas 6 horas e meia de uma viagem bem tranquila. Depois, será necessário ir de Buíque à Vila do Catimbau.

Já se interessou? Então vem conferir umas passagens para Buíque.  

O que fazer em Catimbau: lugares para visitar

Vale do Catimbau - 2º maior parque arqueológico do Brasil

Dizem por aí que os pernambucanos adoram se gabar das grandezas de sua terra. Com o Vale do Catimbau, eles têm um bom motivo, afinal, estamos falando do segundo maior parque arqueológico do Brasil. São mais de cem sítios arqueológicos que guardam pinturas rupestres datadas de mais de 6 mil anos atrás. 

Além dessa bagagem histórica, o ecoturismo é outro carro-chefe do Vale do Catimbau. Lá, você encontrará paisagens inesquecíveis, principalmente por causa da grandeza das formações geológicas, como cânions e chapadões. Do topo deles, a vista da imensidão do Vale é espetacular. Pode ir se preparando para as fotos, viu?

Além das grandes paisagens, você também visitará cavernas esculpidas pelos milênios: o Vale tem mais de 2 mil delas, dentre as quais 28 são cavernas-cemitério, vitrines históricas dos ritos e crenças dos primeiros habitantes do local. Tem também as obras de arte naturais que são as cachoeiras. 

Ah, o Parque Nacional do Catimbau tem um site oficial onde você pode conferir opções de agendamento de passeios, detalhes sobre as trilhas disponíveis e informações de contato. Existem trilhas de variados níveis de dificuldade, então é certo que ninguém ficará de fora!

Continue lendo para descobrir mais detalhes sobre alguns dos pontos que não podem faltar no seu roteiro pelo Vale do Catimbau.  

Vila do Catimbau

A Vila do Catimbau é a entrada oficial do Vale. Lá, você encontrará a Associação de Guias de Turismo do Catimbau, onde há profissionais registrados no ICMBio, especialistas em desbravar tudo que há de melhor no Parque Nacional. Pode acreditar: o auxílio deles é essencial para que os seus passeios pelas trilhas sejam seguros e proveitosos. 

A Vila também tem construções bastante antigas que podem render observações curiosas e algumas pequenas hospedarias, boas opções para quem quer ficar o mais perto possível do Parque Nacional do Catimbau.

Pedra do Cachorro

Um dos pontos mais conhecidos do Parque Nacional, a Pedra do Cachorro (também conhecida como Morro do Cachorro) é uma formação geológica de aproximadamente 480 metros de altura. Além de render fotos excelentes, o morro também é um dos vários sítios arqueológicos do Parque.

Outro ponto forte é que a trilha até lá é considerada de fácil acesso e pode ser realizada inclusive por crianças. O Morro do Cachorro fica a um quilômetro da Vila do Catimbau e a trilha tem extensão de 500 metros.  

Pedra da Igrejinha 

Outro cartão-postal do Parque Nacional do Catimbau, a Pedra da Igrejinha também é um ponto imperdível por conta das belas vistas que proporciona. As formações geológicas do local incluem uma pedra furada cujo formato lembra o do arco de uma igreja quando avistado de longe.

Existem, inclusive, lendas sobre as possíveis propriedades místicas desse deslumbrante ponto turístico: há quem diga que passar pelo buraco da Pedra da Igrejinha dá acesso a outras dimensões. Eu não recomendo criar muitas expectativas sobre essa parte, mas garanto que a beleza do lugar vale a pena. Fica a dica: ele fica particularmente fascinante durante o pôr-do-sol, por causa da coloração que as pedras ganham nesse horário.

A trilha da Pedra da Igrejinha também é fácil e tem cerca de 700 metros. O destino fica a 13 quilômetros da Vila de Catimbau. 

Cachoeira do Pinga (Oásis do Sertão) 

Oásis, por definição, é uma área de natureza viva e exuberante em meio ao deserto. Imagine então como deve ser o lugar que ganha o apelido carinhoso de Oásis do Sertão. Estamos falando da Cachoeira do Pinga, uma das maiores cachoeiras do Nordeste, com 80 metros de altura.

A trilha até a cachoeira, entretanto, não é tão leve quanto os trajetos até a Pedra do Cachorro e a Pedra da Igrejinha, já que o caminho é bastante rochoso. Só se aventure por lá com o auxílio de um guia turístico do Parque Nacional, beleza?

Trilha do Chapadão

Vale do Catimbau - Trilha do Chapadão

Esse é um dos trajetos mais procurados pelos viajantes que querem aproveitar as vistas inesquecíveis do Vale do Catimbau. Isso porque o passeio até o Chapadão oferece paisagens únicas. 

Lá no topo, no mirante natural que o planalto forma, você terá a chance de observar a imensidão dos cânions e do Brejo de São José. Dizem até que o local tem o pôr-do-sol mais lindo do sertão! 

Ah, a trilha do Chapadão (ponto que fica a cerca de 11 quilômetros da Vila) é leve e tem cerca de 2.5 quilômetros de extensão.

Curiosidades sobre o Vale do Catimbau

Agora que você sabe o que te aguarda na viagem ao Parque Nacional do Catimbau, é uma boa aprender alguns fatos interessantes sobre a região. Você sabia, por exemplo, que as paisagens de Catimbau são verdadeiras estrelas de cinema? 

Aqui vão algumas explicações sobre as particularidades que tornam o Vale do Catimbau um lugar ainda mais único.

Cenário de filme

A beleza do Vale do Catimbau já esteve no telão mais de uma vez. Vários filmes, documentários e até videoclipes foram gravados no local, como é o caso da obra Árido Movie, um drama brasileiro lançado em 2006 e dirigido por Lírio Ferreira. É também o caso de Big Jato, comédia de 2016 com direção de Cláudio de Assis.

Os cenários do Vale também ilustraram os videoclipes de artistas como Daniel Aurdany, Gabriel Sá, Katarina Barros e Chambinho do Acordeon. O mais legal é que no site oficial do Parque Nacional do Catimbau, você encontra uma página com os links para assistir a várias dessas obras. É só clicar na opção “Mídias” no menu.

Vale a pena tirar um tempo para dar uma olhada, afinal, essas mídias são uma ótima oportunidade de conhecer a beleza do Vale do Catimbau antes da sua viagem para lá.

Fauna e flora

Comentamos mais de uma vez que a natureza do Vale do Catimbau é única, mas… por que? Bem, o local é uma das últimas regiões do Brasil em que você pode entrar em contato com a caatinga, um bioma exclusivamente brasileiro.

O Parque Nacional do Catimbau é, então, uma importantíssima área de preservação desse bioma. Visitá-lo é uma verdadeira imersão nas belezas naturais do agreste e do sertão. O Parque tem uma biodiversidade incrivelmente rica: só de aves, são 150 espécies encontradas na região. Os destaques são o picapauzinho e a maria-macambira, pássaros típicos da caatinga. Na flora, predominam bromélias e cactos.

Vale da cura

O nome do Vale do Catimbau te lembra alguma coisa? 

Bem, você pode já ter ouvido falar em catimbó, um ritual de cura realizado pelos pajés indígenas. Os ritos envolviam dança, música e outras práticas sagradas realizadas para regenerar a tribo nos planos físico e espiritual. É daí que vem a palavra “catimbau”. 

Exuberância natural e histórica

E aí, tudo pronto para embarcar em uma experiência mágica de contato com a natureza?

O Vale do Catimbau é um destino que promete deixar saudades em quem gosta de ecoturismo e de verdadeiros mergulhos nos costumes de povos ancestrais. 

Além de tudo que já mencionamos, tem mais uma notícia boa: o local pode ser visitado o ano inteiro. Mas para aproveitar ao máximo as paisagens, prefira planejar sua viagem para os meses de menos chuva, que correspondem ao período entre setembro e janeiro. 

Para conhecer o Vale do Catimbau, procure levar calçados confortáveis para as trilhas e alguns agasalhos para as noites (que ficam um pouco mais frias). Ah, claro, prepare a memória dos celulares e câmeras para as várias fotos deslumbrantes que certamente sairão dos passeios.

Por fim, se você gosta de destinos cheios de história e de beleza natural, com certeza vai curtir os outros conteúdos aqui do Tô de Passagem. Lembre-se de checá-los para conhecer outras possibilidades de viagens inesquecíveis.

Autor

Escrever um comentário