logo-to-de-passagem

Entenda tudo sobre o Círio de Nazaré em Belém do Pará

setastdp

História, fé e muita tradição: esse é o famoso Círio de Nazaré.

Quando a época dessa gigantesca celebração se aproxima, as ruas de Belém do Pará vão tomando uma atmosfera diferente. Envolvida pelo clima de gratidão e comunhão, uma multidão de fiéis vindos de todas as partes do país se mobiliza para expressar o carinho por Nossa Senhora de Nazaré, padroeira do Pará. Entre pedidos, agradecimentos e pagamentos de promessas, a beleza emocionante do Círio de Nazaré é uma demonstração incrível de como a fé é poderosa.

Com uma programação que se estende por vários dias, o Círio de Nazaré carrega o título de maior celebração religiosa do Brasil e está na lista das maiores do mundo. Fruto de uma devoção secular, o evento é tão tradicional que se tornou parte da identidade de Belém. 

Para quem gosta de turismo cultural ou de turismo religioso, a chance de acompanhar a festa garante uma experiência inesquecível – e a gente vai te contar tudo que você precisa saber para vivenciar isso –. Hoje, você vai desvendar a história do Círio de Nazaré, entender as etapas que fazem parte desse evento icônico e descobrir por que ele é tão importante para os paraenses.

Vem com a gente para saber mais sobre:

Mas afinal, o que é o Círio de Nazaré? 

E o que significa o termo Círio de Nazaré? 

Origem: Desvende a história do Círio de Nazaré 

Onde acontece o Círio de Nazaré? 

A decoração para o Círio de Nazaré é mais do que especial 

Conheça a Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré 

Saiba quais são as romarias do Círio de Nazaré 

Translado 

Romaria Rodoviária 

Romaria Fluvial 

Moto-romaria 

Trasladação 

Procissão do Círio de Nazaré 

Recírio

A festa do Círio de Nazaré é uma tradição religiosa carregada de muita cultura e você pode vivenciar de perto com a Clickbus! 

Mas afinal, o que é o Círio de Nazaré? 

Imagem de Nossa Senhora de Nazaré em um pequeno altar de pedra

O Círio de Nazaré é uma das festas populares mais importantes da agenda cultural de Belém.

Organizada pela arquidiocese da capital paraense, a celebração é uma linda homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, um dos vários títulos atribuídos à mãe de Jesus Cristo. São vários dias de comemoração, e a programação inclui missas, vigílias, arraiais, romarias e outros eventos. Mas o momento mais emocionante de todos, considerado o ponto alto do Círio de Nazaré, é a gigantesca procissão que acontece todos os anos no segundo domingo de outubro. 

As celebrações do Círio de Nazaré giram em torno da Imagem Peregrina, a estatueta de Nossa Senhora de Nazaré que guia o itinerário da festa. Durante as passeatas, a imagem passa por vários pontos do Pará, sempre acompanhada por grandes grupos de devotos e protegida por uma corda que carrega um significado especial na tradição. Para os fiéis, tocar na corda sagrada que rodeia a Imagem Peregrina é uma chance de pedir por milagres e se aproximar espiritualmente da santa, que é chamada carinhosamente de Naza ou Nazinha.

Além dos festejos públicos, o Círio de Nazaré também é comemorado nos lares belenenses com um belo banquete, o almoço do Círio, que também é realizado no segundo domingo de outubro. Na ocasião, as famílias se reúnem para celebrar a união e as bênçãos ao redor de mesas fartas recheadas de delícias típicas, como o pato no tucupi e o arroz com jambu. Parece familiar? Pois é, a semelhança com a ceia de Natal é uma demonstração de como o Círio de Nazaré é grandioso para os paraenses. Se você estiver em Belém na época das celebrações, com certeza vai ouvir as pessoas desejando “feliz Círio” umas às outras em todos os lugares – é como o “feliz Natal” que aparece aos montes no fim do ano –.

E o que significa o termo Círio de Nazaré? 

Para quem não conhece muito bem o Círio de Nazaré, é normal ter dúvidas sobre o nome do evento. Afinal, o que significa esse termo tão diferente?

Na verdade, a palavra “círio” é uma velha conhecida dos católicos. Ela vem do latim cereus, que era como se chamavam as velas grossas feitas de cera na Roma Antiga. Naquela época, muitos cristãos sofriam perseguições religiosas violentas, então eles se reuniam secretamente para praticar sua fé. As velas usadas para iluminar os espaços escondidos onde aconteciam esses encontros acabaram virando objetos ritualísticos, usados como homenagens às figuras santas. 

Foi daí que surgiu a associação entre os círios (velas cerimoniais) e as celebrações religiosas católicas. Hoje, o termo “círio” é usado para falar de procissões em geral e das velas que são acendidas em solenidades sagradas. Mas não tem como ler ou ouvir a palavra sem lembrar do Círio de Nazaré, né?

Origem: Desvende a história do Círio de Nazaré 

Para entender a história do Círio de Nazaré, precisamos fazer uma pequena viagem no tempo.

Isso porque a devoção a Nossa Senhora de Nazaré é muito antiga. Muito mesmo! Ela surgiu nos primeiros séculos do cristianismo e ganhou espaço em Portugal a partir do ano de 711. A adoração à santa foi trazida ao Brasil pelos católicos portugueses na época da colonização, e passou a fazer parte da tradição paraense no início do século 18.

Tudo começou em outubro de 1700, quando um homem chamado Plácido José de Souza encontrou uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré às margens de um igarapé. Fascinado pela beleza da estatueta, ele levou o achado para casa, mas foi pego de surpresa: no dia seguinte, a imagem tinha desaparecido. Misteriosamente, ela foi parar no mesmo lugar onde havia sido encontrada pela primeira vez. Plácido pegou a estatueta de novo… e aconteceu a mesma coisa!

Depois da repetição desse acontecimento inexplicável, o homem resolveu deixar a imagem exatamente onde ela queria ficar. Ele construiu uma capela dedicada à santa junto às margens do Igarapé Murucutu, e as notícias sobre a estatueta que reaparecia milagrosamente se espalharam pela região. Em pouco tempo, a capela começou a receber visitantes vindos de todas as partes do Brasil Colônia, que queriam testemunhar o poder de Nossa Senhora de Nazaré e deixar presentes para a santa. 

Mas foi só em 1790 que o então bispo do Pará, Dom Frei João Evangelista, resolveu oficializar o culto que já tinha um lugar especial no coração dos paraenses. Ele mandou restaurar a imagem sagrada e pediu permissão ao Papa Pio VI para criar uma festa em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré. Assim nasceu o Círio de Nazaré, celebrado pela primeira vez em 1793. A procissão partiu da capela construída para guardar a imagem – hoje, o espaço abriga a Basílica Santuário Nossa Senhora de Nazaré –. 

A festa foi crescendo aos poucos até se tornar o evento magnífico que conhecemos atualmente. Para você ter uma ideia, algumas edições recentes do Círio de Nazaré chegaram a reunir o impressionante número de 2 milhões de pessoas. Incrível, né?

Onde e quando acontece o Círio de Nazaré? 

Mapa do Brasil com foco no estado do Pará e um alfinete vermelho marcando a cidade de Belém

Como você já sabe, o cortejo mais grandioso do Círio de Nazaré acontece em Belém.

É onde fica a estatueta sagrada encontrada no século 18, que é protegida pela Basílica Santuário Nossa Senhora de Nazaré, situada no centro da cidade. Antes do domingo do Círio, a Imagem Peregrina – uma réplica perfeita da imagem original – é transportada em romarias e procissões que passam por vários municípios e povoados próximos a Belém. 

Ela faz paradas na cidade de Ananindeua e na Vila de Icoaraci, retornando à capital paraense depois de uma viagem aquática pelo Rio Guajará. Só então acontece a Procissão do Círio de Nazaré propriamente dita.

Por isso, se você deseja presenciar o auge desse evento único, o ideal é estar em Belém no segundo domingo de outubro. Vale a pena planejar a viagem com antecedência, já que a cidade sempre fica cheia de visitantes nessa época e as hospedagens ficam super disputadas. 

Para quem quer aproveitar o Círio de Nazaré sem gastar muito com transporte, a melhor pedida é se locomover até a capital paraense viajando de ônibus. De quebra, você ainda curte a estadia sem se preocupar com limitações de bagagem.

A Rodoviária de Belém recebe regularmente rotas vindas de várias partes do país. Para saber mais sobre as melhores opções de viagem, confira essas passagens de ônibus para Belém do Pará.

A decoração para o Círio de Nazaré é mais do que especial 

Em outubro, a cidade de Belém fica ainda mais linda por causa da decoração para o Círio de Nazaré.

São várias instalações especiais que enchem as casas, as ruas e as igrejas com cores e luzes especiais. Os destaques, é claro, são os espaços por onde passa a Imagem Peregrina: a decoração mais impressionante de todas é a da Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, que fica com o altar coberto de flores e recebe uma iluminação cênica que é um verdadeiro espetáculo. No encerramento da festa, a fachada do templo serve de telão para projeções artísticas que contam a história da santa homenageada em uma apresentação encantadora.

A decoração do Círio de Nazaré também inclui as ornamentações incríveis do Pórtico da Escadinha, ponto de chegada da procissão fluvial, e dos navios usados nos trechos aquáticos. Além disso, os fiéis costumam aguardar ansiosamente para ver a berlinda, estrutura usada para transportar a Imagem Peregrina. Ela recebe adornos únicos todos os anos, com direito a muitas flores coloridas e peças assinadas por grandes artistas plásticos. Em outras palavras, se você pretende participar do Círio de Nazaré, pode separar um bom espaço no armazenamento do seu celular ou câmera: não vão faltar oportunidades de tirar fotos lindíssimas!

Conheça a Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré 

A Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré é o coração da fé católica em Belém.

Lembra da capela construída no século 18 para abrigar a imagem sagrada de Nossa Senhora de Nazaré? Pois é, ela foi substituída em 1909 pelo majestoso templo que se tornou um dos atrativos mais adorados da capital paraense. Casa da imagem original, a Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré é o palco das principais celebrações do Círio.

Além da importância histórica e religiosa, a construção tem uma beleza de cair o queixo. A imponente fachada de estilo neoclássico impressiona os visitantes desde o primeiro contato com suas grandes colunas. No interior, o espetáculo é ainda mais incrível: a Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré tem as paredes e o teto cobertos por afrescos coloridos e sofisticados adornos esculpidos em ouro. Lustres venezianos, estátuas de mármore puro, vitrais e medalhões de mosaico completam a exuberante decoração das 5 naves. Não é à toa que a Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré é tombada como Patrimônio Histórico do Estado do Pará – depois de visitar essa grande obra de arte a céu aberto, você vai concordar que o título é mais do que merecido! –.

Saiba quais são as romarias do Círio de Nazaré 

Fitas coloridas de Nossa Senhora de Nazaré

Se você estava se perguntando como acontece o Círio de Nazaré, acabou a dúvida!

As celebrações começam mesmo na segunda terça-feira de outubro, com a missa de abertura que é celebrada na Basílica Santuário. A quinta-feira da mesma semana é o dia da missa de apresentação do manto, a aguardada revelação do traje que a Imagem Peregrina veste durante as romarias.

Mas como mencionamos ali em cima, os momentos mais importantes do Círio de Nazaré são as procissões que acompanham a viagem da Imagem Peregrina. Para te ajudar a entender cada etapa do caminho, a gente vai explicar direitinho o itinerário percorrido durante os dias de festa. Descubra, abaixo, quais são as principais romarias que fazem parte do ciclo oficial do Círio de Nazaré.

Translado 

O translado é a primeira parte do longo caminho percorrido pela Imagem Peregrina. Realizada na sexta-feira do Círio, essa é a romaria mais longa de toda a celebração: são 47 quilômetros que levam a estatueta da Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré até a cidade vizinha de Ananindeua. O cortejo faz várias paradas durante o caminho, e os devotos costumam acompanhar a santa de moto, bicicleta ou carro – mas há quem tenha disposição para ir a pé –. 

Em Ananindeua, a imagem passa a noite na Igreja de Nossa Senhora das Graças, onde os fiéis se reúnem para uma vigília.

Romaria Rodoviária 

Na véspera da Procissão do Círio de Nazaré, a Imagem Peregrina parte de Ananindeua para um outro cortejo: na romaria rodoviária, ela é transportada por mais 24 quilômetros até a orla fluvial da Vila de Icoaraci. Durante o caminho, a santa é homenageada por queimas de fogos e pelas multidões que se agrupam ao redor do corredor formado pelos carros oficiais. 

Romaria Fluvial 

A Orla de Icoaraci marca o início de um dos momentos mais lindos do Círio de Nazaré. É a romaria fluvial, um cortejo aquático de 18 quilômetros que transporta a Imagem Peregrina pela Baía do Guajará. Ela é levada em um navio da Marinha Brasileira decorado especialmente para a festa e acompanhado por centenas de barcos particulares, jetskis, canoas, iates e embarcações de todos os tipos. Para quem deseja acompanhar essa parte da celebração de perto, é possível comprar ingressos para fazer o percurso em barcos turísticos – a experiência é realmente inesquecível –.

No fim da romaria fluvial, a Imagem Peregrina chega à Praça Pedro Teixeira, no centro de Belém.

Moto-romaria 

Depois de voltar a Belém, a imagem santa é celebrada sobre duas rodas na moto-romaria. O cortejo formado por motociclistas é curto (são apenas 2,4 quilômetros), mas memorável. A estatueta sai do porto e vai para o Colégio Gentil Bittencourt, onde fica guardada por algumas horas até o momento da trasladação.

Trasladação 

Caso você não possa estar em Belém durante a Procissão do Círio de Nazaré, vale muito a pena acompanhar a romaria que acontece no dia anterior, chamada de trasladação. Nessa ocasião super emocionante, a berlinda com a Imagem Peregrina é levada do Colégio Gentil Bittencourt até a Catedral Metropolitana de Belém, fazendo um percurso oposto ao caminho que é percorrido no domingo de Círio. 

A trasladação tem uma organização bem parecida com a da Procissão do Círio de Nazaré: a berlinda decorada é protegida por um grupo de voluntários (a Guarda de Nazaré) e pela tradicional corda de 400 metros. A distância total é de 3,6 quilômetros, a mesma do dia seguinte.

Procissão do Círio de Nazaré 

No domingo do Círio, a cidade de Belém para. É dia da Procissão do Círio de Nazaré, o evento mais importante de toda a celebração. Transportada em um carro aberto, a Imagem Peregrina vai da Catedral Metropolitana de Belém até a Praça Santuário de Nazaré, que fica em frente à basílica. Durante o caminho, os fiéis dedicam louvores à santa e se esforçam para encostar na corda que rodeia a berlinda – é uma forma de penitência ou agradecimento pelas graças alcançadas –. 

Na multidão de devotos, é comum encontrar pessoas segurando cartazes e objetos que simbolizam conquistas pessoais alcançadas com a ajuda de Nossa Senhora de Nazaré (como miniaturas de casas, por exemplo). É impossível não se comover com os relatos milagrosos e expressões do amor que os fiéis têm pela santa. Ao final da Procissão do Círio de Nazaré, a Imagem Peregrina fica na Praça Santuário por alguns dias.

Recírio

A procissão principal é o ponto alto do Círio de Nazaré, mas não é o final da celebração. Na verdade, os festejos só terminam mesmo duas semanas após o domingo do Círio: é quando acontece o recírio, último evento do calendário oficial. O encerramento da maior festa religiosa do Brasil é marcado por uma missa celebrada na Basílica Santuário. É uma das poucas ocasiões em que a imagem original de Nossa Senhora de Nazaré é tirada da redoma onde geralmente fica e erguida sobre o público, para abençoar os fiéis.

Também é o momento em que a Imagem Peregrina faz sua viagem final. Na romaria do recírio, último evento do Círio de Nazaré, ela vai da Praça Santuário até o Colégio Gentil Bittencourt – onde fica guardada até o ano seguinte –.

A festa do Círio de Nazaré é uma tradição religiosa carregada de muita cultura e você pode vivenciar de perto com a Clickbus! 

Vista a aérea de Belém do Pará, com as águas banhando a costa

Se a fé move mesmo as montanhas, a gente não sabe. Mas ela com certeza inspira tradições emocionantes, como o Círio de Nazaré!

Mais do que uma manifestação lindíssima da devoção a Nossa Senhora de Nazaré, a festa é um símbolo da cultura popular paraense. Não é exagero: a celebração é tão importante que ganhou até o título de Patrimônio Imaterial da Humanidade, concedido pela UNESCO em 2004. Depois desse mergulho nos detalhes fascinantes do Círio de Nazaré, você com certeza já entendeu por que ele encanta tantos visitantes – religiosos ou não – todos os anos, né? Participar de um festejo tão grandioso é sempre uma experiência inesquecível.

Se você pretende acompanhar as celebrações, a gente te deseja um feliz Círio. Ah, e para aprender mais sobre outros costumes, tradições e manifestações culturais do Brasil, é só acompanhar nossos conteúdos aqui no Tô de Passagem! A gente também fala sobre vários destinos incríveis espalhados pelo país.

Boa viagem e nos vamos na próxima!

Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja O Que Estão Comentando

Deixe o seu comentário

Web Stories

Inscreva-se Para Receber Notícias E
Conteúdos Exclusivos Sobre Viagem